AOS QUERIDOS PAIS

Meus amigos,

Hoje resolvi “atualizar “um texto que já tem mais de uma década e que é dirigido especialmente aos pais dos nossos queridos alunos da turma infantil, mas na sua essência, serve, também, para todos os interessados em conhecer o Aikido.

A criança aprende naturalmente ao brincar, jogar, caminhar ou nadar, pois todas as atividades psicomotoras são importantes para seu crescimento, seu desenvolvimento e sua formação.  Ao observarmos o desenvolvimento do “aprendizado do aprender”, na criança, percebemos que ela, desde os seus primeiros minutos de vida esta aprendendo à aprender e faz isto, através de uma intensa atividade psicomotora. Aprende através das respostas que o mundo da para ela, quando estimulado pelas suas ações. Vai assim, já no inicio, aprendendo o valor de um sorriso ou de um choro.

No passado podíamos brincar na rua, jogar bola no campinho do bairro,andar de bicicleta, subir em árvores, tomar banho em uma sanga ou um banhado perto de casa ou mesmo ir a uma pracinha pública próxima de casa, com tranquilidade. Na minha infância pelo menos, no IAPI, estas atividades eram constantes, mesmo morando em uma cidade grande. Atualmente, no entanto, o acesso a estas fontes de conhecimento, é restrito. Famílias urbanas, por exemplo, são forçadas a ter uma área de recreação interna para as crianças, por razões de segurança. Estilos de vida e atividades recreacionais para crianças tiveram mudanças significativas. Vieram os condomínios fechados, os clubes etc. As brincadeiras externas foram, em muitos casos, substituídas por videogames e computadores e mais recentemente, Smartphones e Tablets.

Nas últimas décadas as conveniências em facilidades de locomoção e uma infinidade de opções de lazer, modernas, têm reduzido nossas oportunidades naturais de atividades fisicas e como consequencia das oportunidades de aprender com o corpo, lamentavelmente, cada vez mais, o aprendizado é apenas mental. Mesmo os filhos de famílias do meio rural, por exemplo, costumavam levantar-se antes da escola para fazer suas tarefas caseiras, que agora são cumpridas por máquinas. Há não muito tempo, as crianças andavam até a escola com seus vizinhos ou sozinhas, as minhas particularmente iam sempre sozinhas, só as levava nos primeiros dias. As crianças de hoje, devido ao aumento da criminalidade ou à distância, são levadas para a escola por ônibus escolares ou pelos pais.

O Aikido, ou mesmo qualquer exercício regular, pode ajudar o praticante a alcançar um nível natural de bem-estar físico maior do que os nossos estilos de vida atuais, promovem. Mas o Aikido(Ai=amor, Harmonia / Ki=Energia / Do=Caminho filosófico), certamente, oferece um conjunto de poderosas ferramentas a serviço do desenvolvimento psicomotor da criança, sendo assim uma complementação, em um viés de uma formação mais plena para a criança. O nosso Aikido é baseado em 7 princípios filosóficos estratégicos e 3 práticas filosóficas. Tais princípios e práticas filosóficas são exercitados através da prática corporal de 3 conjuntos de técnicas básicas.

Os 7 princípios filosóficos de estratégia são:

  1. A) Antecipação: saber quem é o adversário(conhece-lo) e como é o terreno onde vai ser desenvolvido o conflito – A melhor maneira de resolver um conflito é encontrar uma solução antes que ele se manifeste.
  2. B) Não ser atingido: (autopreservação) – Praticando o aprendizado de encarar o contraditório como um aprendizado, olhar o não como uma oportunidade – Quando não existe agredido, não existe agressã
  3. C)  Não bloquear, não ir contra a energia do atacante – Se não houver reagente, não haverá fogo.
  4. D) Colocar-se em vantagem: buscar uma “posição vantajosa” ponto na retaguarda do atacante ou no mínimo, em um ponto neutro, de forma a ser a sua sombra.. É impossível, para o atacante, atingir a sua sombra.
  5. E) O dominio do centro: manter o seu centramento, tanto físico como psicológico, assim como no xadrez ou na Dama, quem domina o centro tem melhores chances, na dinâmica do Aikido, sempre que possível, procurar ser o centro do movimento. O centro com equilíbrio, é o poder.
  6. F) A energia da espiral descendente: A agressividade é uma energia ascendente e tende a aumentar quando encontra oposição. Para neutraliza-la usamos movimentos circulares descendentes e se formos imobilizar, um agressor, o colocamos em decúbito ventral, sempre que possível. O contato do ventre com a terra nos acalma e tranquiliza.
  7. G) Respeito ao adversário: O seu adversário, seja em que área for, deve sempre ser respeitado. Nunca deve deixar o adversário, mesmo na finalização do movimento, em situação humilhante e de extrema dor, seja física ou psicológica – Mesmo um gatinho indefeso, quando encurralado, pode transformar-se em um leão.

 

As três práticas filosóficas são:

1- Disciplina; ter propósitos e princípios e se dedicar a mante-los vivos.

2- Hierarquia: respeito aos mais velhos ou aos mais antigos;

3- Giri (gratidão).  Estar sempre grato aos pais, que lhe deram a vida e a todos os mestres e professores, que lhe trazem conhecimento.

O Aikido moderno procura, na medida do possível, manter os valores morais

e as estruturas organizacionais e hierárquicas do Japão antigo, buscando valorizar o que de melhor este período tem a oferecer, adequando tais práticas às nossas realidades.

Os 3 conjuntos de técnicas básicas são:

▪▪ Ukemi, a arte de cair e levantar;

▪▪ Tai Sabaki, a arte de caminhar e dos movimentos circulares de esquiva;

▪▪ Waza(s), técnicas de projeção, torção de articulações e imobilizações.

 

 

CONCLUSÃO

 

Com o aprendizado de cair e levantar-se em segurança, o praticante aprende que A QUEDA É UMA OPORTUNIDADE E NÃO UMA DERROTA. É uma oportunidade de começar algo novo, seja através de um novo movimento, quando no Aikido, ou algo novo na vida. Quando o praticante conseguir levar estes conhecimentos como uma metáfora para o seu cotidiano. entendera a beleza e o poder da mensagem do criador do Aikido, O Sensei Morihei Ueshiba.

Por meio dos movimentos circulares do Aikido, a criança desenvolve equilíbrio, centramento e noção de espaço. Através dos exercícios de esquiva em geral, desenvolve o instinto de autopreservação. Atualmente percebemos que este instinto se encontra um pouco adormecido, pois as crianças são altamente tuteladas e despreparadas para receber os diversos “NÃO”, que a vida, com certeza, ira lhes ofertar. Consequentemente, ao atingir a idade adulta, com frequência, esses indivíduos vão se encontrar despreparados, para um mundo, como o atual, nada amigável e super competitivo.

Com a prática da não-resistência, as crianças aprendem a buscar uma solução criativa, eliminando o conflito e passando a coordenar e controlar melhor os seus movimentos. Dessa forma, elas descobrem e ampliam suas capacidades e seus limites, tanto no aspecto físico quanto psicológico. Além disso, os praticantes também aprendem a respeitar o limite do outro, o seu colega de treino, neste caso. A prática ainda transmite à criança uma noção mais definida de espaço e de inserção, tanto no mundo físico como no mundo social.

O Aikido tem um programa próprio, que é adaptado à idade dos praticantes. A base dos treinos é comum a todos os grupos etários. Assim, os movimentos com risco de luxação ou que constituem esforço demasiado para as articulações, ainda em desenvolvimento nas crianças, são retirados do programa, mas, em compensação, na turma infantil são acrescentados exercícios, jogos e brincadeiras, específicos para crianças. Estes jogos de treinamento não somente constroem músculos, mas também desenvolvem flexibilidade e agilidade. Eles são também uma ótima brincadeira, quebrando a rotina das atividades regulares da aula.

O mais importante a se considerar nas brincadeiras das crianças é a segurança. Nenhum destes exercícios é difícil ou excessivo. Individualmente, cada criança pode decidir parar a qualquer momento. Os jogos e exercícios em si são selecionados com base principalmente na segurança dos praticantes, mas as crianças podem facilmente excedê-los, por não conhecerem seus próprios limites. Isto pode colocar ele e seu companheiro de treino (Uke) em risco. Dai a importância de que este treinamento seja sempre feito sob a supervisão de um instrutor. A função dele é observar se há hiperatividade ou comportamento hiperexcitado. Às vezes, retirar uma criança que esteja demasiadamente excitada e fazê-la apenas observar a aula por alguns minutos pode resolver o problema. Como muito do aprendizado de uma arte como o Aikido se realiza através de fazer ou não fazer algo, pedimos que os pais entrem em contato com os responsáveis quando não compreenderem alguma atitude de um instrutor ou do Sensei.

Muitos dos treinamentos individuais, como o canguru, o sapinho, o caranguejo, o coelho, a cobra etc., podem ser feitos como competições. Nas brincadeiras e nos jogos com competições procuramos acentuar a idéia e o sentimento de grupo em detrimento da individualidade, uma vez que o mundo adulto, como está conformado, já apresenta para a criança uma forte carga de supervalorização da individualidade. Desejamos com esta prática criar um MEME (ver Richard Dawkins) positivo de valorização do espírito de equipe, do trabalho em grupo e, consequentemente, o respeito aos outros seres.

Em alguns momentos o tratamento durante o treinamento pode parecer duro para com o seu filho, mas esteja certo de que isto obedece a um propósito, queremos prepará-lo, como praticante de Aikido, para a vida. As exigências do mundo real são muitas, quanto mais as crianças tiverem despertadas em si o foco, a atenção, resiliência (como capacidade de superação das dificuldades), a empatia (sentir as necessidades do próximo ou do grupo), respeito à hierarquia e espírito de cooperatividade, desenvolvendo a noção de que sozinhos não chegamos a nada, nem à nossa própria felicidade, mais preparadas elas estarão para viver um viver pleno.

No entanto, em momento algum esquecemos que não é possível exigir de uma criança que ela se concentre por uma hora apenas na prática do Aikido. Portanto, apesar da importância de incluirmos alguns dos ensinamentos e algumas das práticas de nosso “caminho”(DO), nestas aulas, é preciso “quebrar o ritmo” com jogos e brincadeiras. Assim sendo,, com as turmas das crianças seguimos uma dinâmica própria que pode ser traduzida pela seguinte frase: um movimento de Aikido, uma brincadeira; um movimento de Aikido, outra brincadeira. O elemento lúdico é importante, é brincando que se apreende.  

Vargas Fº

26/06/2016

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s